Mas afinal qual é o Estilo Alimentar mais Saudável?

Estarmos informados sobre as coisas é muito bom mas, por vezes, o excesso de informação também pode ter consequências negativas. E no que toca à alimentação é isso que acontece hoje em dia. Muito se fala sobre as várias dietas, há as correntes vegan, as paleo, as low carb, as crudívoras, só para falar de algumas. E a maioria das pessoas acaba por ficar confusa… Mas afinal como saber qual o tipo de alimentação mais saudável?

Colocando de lado questões morais, ecológicas e ambientais, qualquer regime alimentar pode ser muito saudável ou muito prejudicial, dependendo da pessoa em causa. Porque não podemos apenas olhar para o alimento em si mas também para as características únicas da pessoa que o consome: constituição genética, digestão e absorção dos nutrientes ou estilo de vida (vícios, sono, relacionamentos, stress, emoções). E portanto só podemos saber qual o melhor estilo alimentar para nós se ouvirmos o nosso corpo. Esta é a chave que nos abre sempre a porta certa.

E é bem simples… Em vez de seguirmos o que os amigos fazem ou o que lemos nos livros ou na internet, basta pararmos um pouco e estarmos atentos aos sinais que o nosso corpo nos envia, e que muitas vezes teimamos em ignorar. Como está a nossa saúde? Os nosso níveis de energia? A nossa disposição? O nosso sono? Temos algum sintoma anormal? Algum desconforto? Como é que determinado alimento nos faz sentir? Temos desejos repentinos por algo? Esta escuta ativa do nosso ser tira-nos todas as dúvidas! Não há uma alimentação ideal para todas as pessoas, simplesmente porque somos todos diferentes. E aquilo que comemos deve adequar-se à nossa bio-individualidade. Não vale a pena sermos vegan porque está na moda e só sonharmos em comer carne. Não vale na pena querermos ser paleo porque um amigo também é quando só nos apetece um grande prato de massa. Precisamos de nos conhecer e à nossa natureza, respeitando os nossos valores, convicções e emoções, só assim teremos saúde e seremos verdadeiramente felizes.

Claro que há alimentos que não são bons qualquer que seja a dieta que se escolha, pelos malefícios comprovados que originam na nossa saúde: os alimentos processados e transformados, as farinhas refinadas, os açúcares. Mas a partir daí é uma questão muito pessoal.

Eu já fiz várias experiências… Já tive uma alimentação muito à base de hidratos, já experimentei reduzir os hidratos ao mínimo, já deixei de comer carne. Atualmente posso dizer que sou vegan 70% do meu tempo, são estes os pratos que mais prazer tenho ao cozinhar. Mas há dias em que me apetece ser paleo, outros crudívora, outros em que me apetece comer carne, peixe ou ovos. Não bebo leite nem consumo os seus derivados, pois percebi que não reajo bem a este alimentos. Não consumo glúten porque sou intolerante. O que é mesmo importante para mim? Consumir alimentos de qualidade! Biológicos, livres de químicos e substâncias geneticamente modificadas. Não só pela minha saúde mas por respeito aos animais e ao meio ambiente. E assim sinto-me bem, é este o meu ponto de equilíbrio. Não há nome para este regime alimentar, é simplesmente O MEU regime alimentar.

E portanto, o melhor conselho que vos posso dar é este: Oiçam o vosso corpo! Façam escolhas conscientes de acordo com a vossa bio-individualidade. Tenho a certeza que, desta forma, vão conseguir perceber qual é a vossa alimentação ideal.

E, se por acaso precisarem de ajuda, estou por aqui, sempre à distância de que clique. 🙂

You may also like...